Véspera de Páscoa


            Fui atender ao interfone quando me deparei com o jovem me oferecendo os panos de pratos para comprar.

            A bem da verdade, naquela semana, era a segunda pessoa que me oferecia panos de prato com o intuito de ajudar no orçamento.

            _ A senhora não quer comprar? Perguntou o rapaz.
            _ Quanto é? Perguntei.
            _ Dois reais cada.
            _ Você troca R$50,00?
            _ Não dona, porque ainda não conseguir vender nenhum… sabe como é… feriado de Páscoa, tá todo o mundo viajando…
            _ Então está difícil, porque eu até estou precisando trocar o dinheiro para pagar a moça que trabalha aqui. Mas acho que tenho R$5,00. Você pode fazer três panos por R$5,00? Perguntei-lhe.
            _ Se a senhora tiver, faço.
            Eu já estava entrando, quando ele me solicitou:
            _ A senhora pode me arrumar um copo d’água?
            Voltei-me de repente e analisei o rapaz: devia ter uns 18 anos no máximo. Alto, simpático e aparentemente humilde. Imaginei que não comera nada até àquela hora, já se aproximavam das 18 horas. Questionei-lhe:
            _ Você comeu alguma coisa?
            _ Não, dona. Eu saí cedo e como não vendi nada, não tive dinheiro para comer.
            _ Então, entre. Vou lhe arrumar um café.
            Pedi que se assentasse no sofá da sala enquanto lhe preparava um lanche.
            Achei que seria difícil para ele comer no sofá. Permiti que se assentasse à mesa.
            Enquanto saboreava, faminto, o lanche, me perguntou:
            _ A senhora não sabe de alguém que esteja precisando de rapaz para trabalhar? Faço qualquer coisa: serviço de jardinagem, faxina…
            _ No momento, não sei, mas vou perguntar às minhas vizinhas. De vez em quando alguma precisa.
            _ Quantos anos você tem? Perguntei-lhe.
            _ Dezenove.
            _ Você tem irmãos?
            _ Nós somos oito.
            _ Você mora com a sua família?
            _ Moro com a minha mulher e minha filhinha de seis meses. Não tenho pai nem mãe, e, dos meus irmãos, não sei o paradeiro.
            _ Por quê?
            _ Eu morava com meus pais até os meus 10 anos. Meu pai batia muito na gente e na minha mãe, por isso ela separou dele, ficando só com os filhos. Depois ela adoeceu: câncer na mama e como já estava avançado, distribuiu os filhos antes de morrer. Eu fui morar numa fazenda e, lá, fazia todo o tipo de serviço. Mas eu ainda era criança. Não sabia fazer direito, estava aprendendo… e por isso apanhava muito quando fazia errado. Decidi sair e vir morar aqui nesta cidade. Conheci esta senhora que faz os panos de prato. Ela tem uma filha, esta que moro com ela…
            _ A sua mulher trabalha?
            _ Tava trabalhando numa casa, sabe? A dona é até a proprietária do barraco que a gente mora. Mas aí depois de quinze dias de serviço, ela falou que pagaria a minha mulher só R$80,00 por mês. Sabe como é dona, a gente precisa, né? Minha mulher aceitou, não tinha jeito mesmo. Só que quando venceu o mês, a dona não pagou nada. Então eu pedi a ela que ficasse por conta do aluguel. Ela acabou concordando. Na verdade a gente precisava do dinheiro: comprar leite e comida para a criança, principalmente. Mas o teto também é muito importante e não íamos ter dinheiro para pagar o aluguel mesmo! Acabou que, pelo menos dele, ficamos livres naquele mês. Aliás, se a senhora souber de emprego para minha mulher também, eu agradeceria.
            _ Onde você mora?
            _ Na Saudade.
            _ Nossa! É bem longe daqui…
            _ Mas eu durmo no emprego, dona. Deixo para ir lá no final de semana.
            _ E a sua esposa?
            _ Ela também pode dormir.            _ Mas e o neném?
            _ A mãe dela cuida, dona. Nós precisamos trabalhar e, se for desse jeito, não tem problema. Tá muito difícil arrumar emprego. As pessoas desconfiam da nossa honestidade, e com razão: o mundo está muito violento. Até provarmos que somos honestos, precisamos ter chance e esta chance, ninguém dá. Não posso escolher, não. Faço do jeito que for melhor pra pessoa. Preciso é trabalhar para comer e dar de comer à minha filhinha.
            _ Está bem. Vou fazer uns contatos com as vizinhas e ver se alguém está precisando. Deixo o meu telefone com você e você me liga daqui dois dias, certo?
          _ Muito obrigado, dona. Jesus abençoe o seu lar. Obrigado pelo café. Fique com Deus e feliz Páscoa!
            _ Feliz Páscoa para você também, respondi.
            Paguei-lhe os panos de prato e o acompanhei até a porta.
            Fiquei imaginando como não se marginalizara até hoje; sem família, sem dinheiro, e concluí que ainda lhe restava a esperança, o renascimento… Era véspera de Páscoa!

3.969 thoughts on “Véspera de Páscoa

  1. I think this is among the most vital info for me. And i’m glad reading your article. But want to remark on some general things, The website style is great, the articles is really nice : D. Good job, cheers|

  2. This is the right blog for anybody who hopes to find out about this topic. You realize so much its almost hard to argue with you (not that I really will need toÖHaHa). You certainly put a fresh spin on a topic which has been discussed for many years. Great stuff, just wonderful!

  3. Howdy! I could have sworn I’ve been to your blog before but after looking at many of the posts I realized it’s new to me. Regardless, I’m definitely delighted I discovered it and I’ll be bookmarking it and checking back often!|

  4. I absolutely love your blog and find a lot of your post’s to be exactly I’m looking for. can you offer guest writers to write content for you personally? I wouldn’t mind publishing a post or elaborating on many of the subjects you write related to here. Again, awesome weblog!|

  5. Good day! I could have sworn Iíve visited this web site before but after looking at many of the posts I realized itís new to me. Anyhow, Iím certainly delighted I found it and Iíll be bookmarking it and checking back frequently!

  6. After looking over a few of the blog posts on your web site, I truly appreciate your technique of blogging. I saved as a favorite it to my bookmark site list and will be checking back soon. Please check out my web site too and tell me what you think.

  7. Thank you, I’ve recently been looking for info approximately this subject for a long time and yours is the greatest I’ve came upon so far. But, what about the conclusion? Are you certain about the supply?|

  8. What i don’t understood is in truth how you’re no longer really much more well-preferred than you may be now. You’re very intelligent. You realize therefore significantly relating to this topic, produced me personally imagine it from so many varied angles. Its like men and women are not interested until it’s something to do with Girl gaga! Your individual stuffs excellent. All the time maintain it up!

  9. When I originally commented I appear to have clicked the -Notify me when new comments are added- checkbox and now each time a comment is added I recieve 4 emails with the exact same comment. There has to be a means you are able to remove me from that service? Kudos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website