Porque o tempo urge!

 Eles chegaram num caminhão, desceram com a grande escada, a serra e todos os apetrechos necessários. Eram três homens. Tocaram meu interfone e pediram que eu retirasse o carro que estava estacionado em frente. Era para evitar acidente.
            Ao me dirigir ao carro, dei com os três armados em frente à árvore.
      Era uma árvore gigantesca, talvez, centenária. Informaram-me de que se tratava de uma Saboneteira, árvore cujas sementes são usadas para fazer sabão e contas de colares.
          Questionei-lhes o porquê da derrubada. Disseram-me que o morador constatara, junto com um engenheiro, que o pé da árvore estava infestado de cupins, o que poderia causar um grave acidente.
       De repente, ao contemplar a árvore, vejo uma casa de joão-de-barro construída entre dois troncos. Já estava pronta.
           Imediatamente, peço a eles que não comecem a trabalhar a serra antes de retirar a casinha.
           _ Deem-me a casinha inteira. Soa não como uma ordem, mas uma súplica.
           Os três param e me encaram. Talvez, não acreditem que às 7h30 de uma manhã de outono, travestida ainda de verão do mês de abril, ensolarada, aos 24º, uma mulher, levando filhos para a escola, atrase a saída para se preocupar com uma casa de joão-de-barro. Mas, imediatamente, providencio para que meu filho mais velho leve a irmã à escola, enquanto tento transferir a moradia do pássaro.
           _ Por favor, não deixem a casinha quebrar. Retire-a delicadamente, que vou colocá-la em uma árvore dentro do meu jardim.
          Os funcionários da prefeitura entendem perfeitamente o meu pedido, embora me informem que, uma vez tocada, os pássaros não mais a habitarão. Sentem cheiro de invasores, temem se tornarem prisioneiros…
         Mesmo assim, peço a casinha, na esperança de que, passado o tempo, banhada a casa pela chuva retirando o toque humano, o pássaro volte a habitá-la.
        Colocam a extensa escada apoiada à árvore, e um deles vai escalando-a, E eis que vejo o proprietário da casinha parado em seu topo, demarcando o seu espaço.
            Peço ao funcionário que não o assuste. Suba devagar.
            Paciente, o rapaz me ouve, e sobe lentamente, até que a sua sombra, embaçando o sol, espanta o pássaro que pousa num fio do poste próximo à árvore e observa o homem da prefeitura retirando o seu lar, construído com a paciência de quem, mesmo não sabendo o que é esperança, não desiste. Sob o sol, a chuva e o vento, diariamente, vai longe buscando os gravetos, o barro, incansavelmente até dá-lo por terminado. É o ninho, o aconchego e proteção dos filhotes e da fêmea.
            Ao retirar com cuidado a casa por inteiro, peço que desça devagar, a fim de que o pássaro veja onde a depositaremos, na esperança de que ele não perca a esperança de tê-la inteira novamente, ainda que ele não saiba o que seja esperança…
       E, então, eu a recebo das mãos do funcionário, que agradeço comovida. Pesada, perfeita, benfeita. Verdadeira obra de artista!
        Com passos lentos, olhando constantemente para o pássaro que permanece no fio, tento-lhe mostrar que sou amiga, não vou destruir sua casa, tampouco transformá-la em armadilha para prendê-lo, e, então, escolho a árvore mais próxima da rua, mesmo dentro do meu jardim. A árvore, embora demarcada pela grade da casa, abre-se ao céu, sem telhado circundando-a, é a mais alta e com tronco mais grosso, capaz de suportar ventos e tempestades, sustentando a casa, e, deposito com cuidado a casinha entre um nó de tronco, mais no alto, protegida dos gatos, dos homens, e, como criança, olho para o pássaro ao mesmo tempo que, com o dedo, aponto-lhe a casa.
          Os dias passam e não vejo mais o pássaro.
        Certa noite, a chuva cai, e, na manhã seguinte, ao abrir a porta que dá para o jardim, para a minha alegria, eis que vejo um joão-de-barro no topo da sua casinha, demarcando espaço, bicando-a, talvez, como um beijo de alegria, e percebo o começo do que parecia ser um fim…

 

                        

168 thoughts on “Porque o tempo urge!

  1. I’m not that much of a online reader to be honest but your sites really nice, keep it up! I’ll go ahead and bookmark your site to come back in the future. Cheers

  2. This is the perfect website for anyone who wants to find out about this topic. You realize so much its almost hard to argue with you (not that I really would want to…HaHa). You certainly put a fresh spin on a subject that has been discussed for decades. Wonderful stuff, just excellent.

  3. Thanks for these pointers. One thing I additionally believe is always that credit cards offering a 0 monthly interest often appeal to consumers in with zero interest, instant acceptance and easy on the web balance transfers, nonetheless beware of the top factor that may void your 0 easy road annual percentage rate as well as throw anybody out into the bad house quickly.

  4. I would like to thnkx for the efforts you’ve put in writing this site. I am hoping the same high-grade site post from you in the upcoming also. Actually your creative writing abilities has inspired me to get my own web site now. Actually the blogging is spreading its wings quickly. Your write up is a great example of it.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website