“Quadro negro”

Valter, trinta e nove anos, é o professor de Matemática. Veio do nordeste, fugindo da seca que ano a ano assola seu Estado. De estatura baixa, cabeça chata e sotaque nordestino, sobra-lhe o rosto de feições rudes para afastar qualquer deboche. Forma de se impor fora do berço. No primeiro dia de aula, a sala em alvoroço pelo reencontro com os colegas, ele entra silencioso, dirige o olhar a todos, pega devagar o apagador, virando-o para o lado da madeira, aproxima-se da mesa, ergue-o com o braço o máximo que consegue e o solta, de repente, sobre a pesada mesa de madeira, provocando um barulho ensurdecedor, assustando os alunos. As salas de aula, na década de 70, tinham um piso mais alto que abrigava a mesa e a cadeira do professor. O quadro é negro, mas o giz é branco. A noção de hierarquia já começava dali.

Quando entro por esta porta, não quero ouvir nenhum espirro, entenderam? Na minha aula, ninguém sai para tomar água e nem pede para ir ao banheiro. Se eu pegar algum rosto olhando para o lado que não seja em minha direção, ou na direção do quadro-negro, boto para fora de sala e mando para a sala do diretor. Prova é no dia e na hora em que eu resolver. Não aviso antes. Obrigação de vocês é saberem a matéria que ensinei. E vou avisando: tratem de estudar porque se ficarem com 59,9 não dou nem um décimo para o mínimo necessário. Estamos entendidos?

Uma troca de olhares assustados entre os alunos, e, imediatamente, o berro com o murro na mesa: vocês estão surdos? Eu vou perguntar pela última vez: estamos entendidos?

Sim, em uníssono.

A lição de casa será vista logo no início da aula. Que ninguém tente me enganar, fazendo no dia. Passarei de carteira em carteira para dar o visto.

Bate o sinal, final da aula, e, assim como entrou, o professor deixa a sala, sem, ao menos, um até amanhã. Como se tivessem saído de uma hipnose, pernas se esticam, cabeças se dobram, e um “que alívio” ecoa das bocas.

“Hoje você é quem manda, falou tá falado, não tem discussão, não”.

No recreio, a liberdade para as conversas, ainda que vigilantes escolares se postem nas arestas do pátio. Nas ruas centrais, estudantes universitários tentam manifestações de repúdio à censura, mas são dispersos por gás lacrimogêneo acompanhado do ruflo dos cassetetes que espocam nos ombros, cabeças, costas e pernas, e, na praça da guerra, camburões se enchem rapidamente. Os escolados, ao perceberem a presença da polícia, gritam: lá vem a Rapa!

“Somos todos iguais braços dados ou não.” 

João Carlos, vinte e dois anos, universitário, é o professor de Português. Apaixonado pela língua e pela literatura, suas aulas são inovadoras. De posse de um gravador a pilha, toca as músicas censuradas, despertando-nos para as metáforas.

João amava Maria. Qual é o sujeito?

 O sujeito é João que poderia amar Elinete, pensa a aluna. Gostaria de ser o objeto direto de João. Junto a ele há segurança, ficaria livre do demônio da matemática. Adoro português e detesto matemática. Gosto de sonhar e não suporto a lógica dos fatos. Não quero sair desta escola. Necessito me alimentar de palavras e de presenças.

Silêncio total. Nem um zumbido de mosca é ouvido. Com as mãos enlaçadas atrás, Valter passeia de carteira em carteira, dando vistos na lição de casa. Ele se aproxima da última fileira. Elinete assenta-se na beirada. Ele se abaixa para pôr o visto no caderno dela e roça sua genitália no braço de Elinete. Assustada, ela se encolhe, e um misto de ódio e medo a invade. Não o olha. Treme, e silencia.

“Pai, afasta de mim este cale-se.”

  Mãe, estou passando mal. Amanhã não vou à aula.

 Filha, não faça isso. Você já está tão atrasada…

Não foi naquela sexta-feira. Ficou remoendo os pensamentos, enquanto roía as unhas. Contar à mãe o que o professor fez era o mesmo que levar o pai para a cadeia, porque religioso e moralista, ele seria capaz de meter uma bala na cabeça do safado. E, depois, tem o medo de se indispor com o professor. Nervoso do jeito que ele é, nem sei o que faria.

“Têm dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu. A gente estancou de repente, ou foi o mundo então que cresceu”

No sábado à noite, o culto.

Quantas vezes devemos perdoar, Mestre?

Setenta vezes sete.

Sempre achei a matemática muito infinita, pensa Elinete.

 

Elinete, venha até o quadro.

Eu?

Tem mais alguém com o nome de Elinete aqui?

Parada em frente ao quadro-negro, Elinete esfrega nervosamente as mãos. Três exercícios de inequação a esperam. Ela faltou à última aula quando foi dada a matéria. Vira-se para o quadro e tenta esconder com o corpo a mão com o giz que rabisca e apaga, rabisca e apaga.

“Quando chegar o momento, este meu sofrimento vou cobrar com juros, juro!”

Queria dizer que não veio à aula porque passou mal por ele ter se encostado nela. Queria chorar e gritar que sente nojo e ódio dele…

“A gente quer ter voz ativa. No nosso destino mandar, mas eis que chega a roda viva e carrega o destino prá lá.” 

Volte para a sua carteira. Na hora do recreio, ficará comigo na sala para aprender inequação.

Envergonhada, com os olhos vermelhos, assenta-se na carteira. O resto da aula é só pavor. O quadro-negro se torna a tela. O professor assentado ao seu lado, colando a perna dele na dela, passando a mão nas suas coxas. É capaz de vê-lo tirando a roupa dela com os olhos. A tremedeira se inicia à medida que os minutos se passam. Seus joelhos se batem, suas mãos esfriam. O frio a invade e ela desmaia. Um forte cheiro de álcool a desperta. Encontra-se na sala do diretor, e, para seu alívio, o grande carrilhão marca 16h15. Já passou o recreio. Na saída da escola, Madalena pergunta:

Pelo amor de Deus, Elinete, o que aconteceu?

Não quero ficar sozinha com ele na hora do recreio, porque um dia, quando ele estava conferindo a lição de casa, encostou o “troço” dele no meu braço.

Ah, Elinete, deve ter sido sem querer, você está cismada porque ele só pega no seu pé.

Ele me chamou de propósito no quadro, porque sabia que eu tinha faltado à última aula e não saberia resolver os exercícios. Uma desculpa para ficar comigo no recreio.

Vamos com calma, Elinete. Grosso do jeito que ele é, não simpatiza com ninguém. Acho que ele percebe a sua fragilidade, e, por isso, te pega pra cristo. Você tem de ser mais firme. Aconteceu de novo?

Não.

Então, esqueça, Elinete. Tire isso da cabeça que só vai fazer mal a você. Vou a sua casa no domingo te ensinar inequação, e, assim, você não precisará ficar com ele no recreio, certo?

Elinete se animou.

Sábado á noite, o culto:

“Se teu olho é motivo de pecado, arranca-o. Se tua mão é motivo de pecado, corta-a fora, porque o fogo do inferno aguarda os depravados.”

Por um momento, visualiza a mesa, o apagador, o quadro-negro e o professor de matemática sendo consumidos por uma enorme chama.

No domingo, Madalena lhe ensinou a matéria e lhe passou vários exercícios. Elinete estava pronta para ter direito ao recreio.

Agora, Elinete, você precisa enfrentá-lo. Deixar ficar te humilhando é um desaforo.

Amanhã, irei à aula de coque. Quero deixar o meu rosto à vista.

 

Professor João, o que é incógnita?

É segredo, enigma, mistério, desconhecido.

O pavor que essa palavra me provoca na matemática é o meu devaneio em português, pensa ela.

Eu amo. Tu, Elinete?

Tive vontade de dizer: eu adoro, mas a pessoa era a segunda, e, fixando o meu olhar nos olhos dele, afinal, eu estava treinando, respondi: Tu amas.

Pessoal, João amava Maria. Se Maria amasse João, qual a função do “se” nessa frase?

É a mesma da frase: “se eu tivesse alguma chance”, respondeu imediatamente Elinete, e corou quando João lhe perguntou: Chance de quê?

Ora, de que João me amasse!

E foi uma risada geral.

 

b2, sendo 4ac

Para não me esquecer, acho que é melhor eu substituir para o português. Menos um bossal, mais ou menos raiz quadrada de débil sobre dois amores (eu e o João, claro!), lembrando-me que débil é igual bossal elevado à potência dois, menos quatro vezes amor correspondido. Acho que assim não me esquecerei.

Na equação, vocês têm de colocar o “x” em evidência, afirma o professor.

Ah! Agora sim. Gostei desse “x” em evidência. Vou nomear esse “x” de Elinete. Vamos Elinete, você precisa estar em evidência. Não posso negar que essa matemática também me é muito útil, pensou Elinete.

Elinete, venha ao quadro e resolva esta equação do segundo grau.

 

“Amanhã vai ser outro dia”.

Levanto-me decidida. Estou de coque, rosto à mostra e olhar confiante. Ao meu lado, Madalena me olha cruzando os dedos. Está torcendo por mim. Posso dizer que não vacilei. Resolvi rápido e acertei. Surpreso, o professor dirige-me um sorriso incógnito, e, ironicamente, me diz:

Vejo que você está gostando da minha aula.

Mal sabe ele que me valho das amadas aulas de português para suportar a dele.

 

Agora, fechem os cadernos, vamos fazer uma prova.

A tensão é geral na sala. Ele distribui as provas viradas sobre as carteiras e pede que ninguém as vire, enquanto ele não ordenar. Após a entrega da folha ao último aluno, ordena: podem começar.

 Elinete não tira os olhos da prova, atenta aos cálculos. De mãos cruzadas atrás do corpo, Valter dá voltas na sala, observando os alunos. Elinete se agarrou numa questão. Ela morde o lápis, escreve e apaga e não vê que o professor a observa de longe. Ele se aproxima, abaixa-se se esfregando no ombro dela, enquanto toma-lhe o lápis e escreve o resultado na questão. Elinete levanta-se, rapidamente, empurra o professor e grita: cachorro!

Ponha-se para fora imediatamente, ele berra.

É o que vou fazer. Vou direto à sala do diretor contar que espécie de professor o senhor é.

 Ao abrir a porta, dá com Madalena saindo da carteira: espere, Elinete. Vou com você. Ao mesmo tempo, dirige o olhar aos colegas. Seis alunos se levantam em direção à porta.

Quem deixar esta sala, além de tomar zero na prova, será suspenso por três dias, berrou o professor.

Isso é o que vamos ver, respondeu Madalena.

“Vem, vamos embora que esperar não é saber. Quem sabe faz a hora não espera acontecer”.

 Artur é o diretor da escola. Ocupa uma pequena sala no primeiro andar.  Na parede, o retrato do presidente do Brasil, de postura altiva e a faixa verde-amarela. Ao seu lado, três bandeiras: do Brasil, do Estado de São Paulo e da escola. São hasteadas em dias cívicos e toda sexta-feira, quando os alunos entoam o Hino Nacional. Os alunos adentram a sala, nervosos e falando ao mesmo tempo.

O diretor se levanta nervoso e permite apenas que Elinete entre.

 O que aconteceu, minha filha?

 O seu Valter anda se encostando em mim com a sua parte genital.

 Elinete, não confunda as coisas. Não deve ter sido por querer. Você é uma garota alta e às vezes, ao se aproximar da sua carteira, sem querer ele se encostou em você. Não queira inventar uma situação que não existe

“Não adianta um pé de coelho no bolso traseiro, nem mesmo a tal ferradura suspensa atrás da porta”

 Elinete teve vontade de falar que não devia ter sido sem querer coisa nenhuma, porque encostou uma coisa dura nela. Mas não teve coragem de dizer isso.

Vamos fazer o seguinte, Elinete, eu vou subir com vocês à sala, pedir licença ao professor Valter para que vocês entrem porque houve um mal entendido, mas que tudo já se resolveu, e damos por encerrado esse assunto.

 Na divisão exata, a ordem das parcelas sempre altera o resultado. O divisor deve ser sempre menor do que o dividendo para que o resultado seja positivo. Valter é o dividendo, e eu, o divisor. Não tenho chance.

Aula de matemática: Valter entra sorridente, dá boa-tarde a todos, avisa o dia em que aplicará a outra prova, desejando a todos boa sorte e que sejam aprovados no final do ano. No final da aula, ao cruzar com Elinete, dirige-lhe um sorriso irônico e diz: “vim, vi e venci!”.

“Espalho coisas sobre um chão de giz… disparo balas de canhão, é inútil, pois, existe um grão-vizir”

Trinta anos depois, Elinete entra na sala de aula, cumprimenta a todos, pede silêncio uma, duas, três vezes e, sem sucesso, diz aos alunos do Ensino Médio que quem não quiser assistir à aula, pode ficar lá fora, mas que não atrapalhe aquele que quer assistir. Ouve algumas risadas, alguém trombeteia que ela deve dar aula caladinha porque o pai é quem lhe paga o salário e o outro ameaça que, se ficar para recuperação, vai ser pior para ela.

A sala é ampla, não tem degrau, o quadro é branco, mas o pincel é preto.

 

“No fim do mundo, tem um tesouro. Quem for primeiro carrega o ouro.

No mais, estou indo embora, no mais, estou indo embora…”

 

Terceiro lugar no Prêmio Cataratas Internacional de Contos – 2014

25.997 thoughts on ““Quadro negro”

  1. Hi! Someone in my Facebook group shared this website with us so I came to check it out.
    I’m definitely loving the information. I’m
    book-marking and will be tweeting this to my followers!

    Fantastic blog and outstanding style and design.

  2. I absolutely love your website.. Great colors & theme. Did you create this website yourself? Please reply back as Iím looking to create my very own website and want to find out where you got this from or exactly what the theme is named. Thanks!

  3. Hey are using WordPress for your blog platform?
    I’m new to the blog world but I’m trying to get started and set up my own. Do you need any html coding knowledge
    to make your own blog? Any help would be really appreciated!

  4. Simply want to say your article is as surprising.
    The clarity to your submit is simply spectacular and
    i could think you are knowledgeable in this subject. Well along
    with your permission let me to snatch your RSS feed to keep updated
    with approaching post. Thank you 1,000,000 and please
    carry on the enjoyable work.

  5. Firmamızın üretmiş olduğu yün ve akrilik halılar daha sonra laboratuvar test aşamalarına alınmaktadır. Son derece hassas olan bu test aşamalarının ilki dayanıklılık testi olmaktadır. Butal test dediğimiz uygulama kapsamında 400 bin devirlik tetrapod metodu ile beraber halılarımız dayanıklılık bakımından test edilmektedir. Sönmez Halı güvencesi ile üretilmiş olan bütün halılar bu testlerden en yüksek değer olan 5’i almaktadır. Bir sonraki test aşamasına geçildiğinde ışık hassasiyeti yine Butal test laboratuvarlarında gözden geçirilmektedir. Üretmiş olduğumuz halılar ışık hassasiyeti testinde 0 oranında mukavemetli çıkmaktadır.

  6. Cami Halılarında Uyguladığımız Dokuma Sistemleri Sönmez Halı tarafından imal edilmekte olan cami halılarının bütün testlerde bu kadar başarılı olabilmesinin en önemli sebeplerinden birisi dokuma sistemidir. Firmamızdaki modern makineler ile beraber Face To Face yani yüz yüze diye şekillendirilmekte olan halılarda Wilton dokuma sistemi devreye sokulmaktadır. Oldukça sık olan bu dokuma sisteminde ilmek uç sayısı, hav yüksekliği son derece hassas ayarlanmaktadır. Halılarınızın metrekareye düşen ağırlık miktarları göz önüne alındığında ne kadar kaliteli bir şekilde üretildiği daha iyi anlaşılmaktadır. Atkı kalitesinde en kaliteli ipler kullanılırken bütün halılarda ekstra standartlar sağlanmaktadır.

  7. I must thank you for the efforts you have put in penning this blog. I really hope to check out the same high-grade blog posts from you later on as well. In truth, your creative writing abilities has encouraged me to get my own, personal blog now 😉

  8. I’d like to thank you for the efforts you have put in penning this website. I’m hoping to see the same high-grade content from you in the future as well. In fact, your creative writing abilities has inspired me to get my own website now 😉

  9. Nice post. I learn something totally new and challenging on websites I stumbleupon every day. It’s always exciting to read through articles from other authors and practice a little something from other web sites.

  10. An outstanding share! I’ve just forwarded this onto a colleague who has been conducting a little research on this. And he in fact ordered me dinner due to the fact that I found it for him… lol. So allow me to reword this…. Thanks for the meal!! But yeah, thanx for spending some time to talk about this issue here on your web page.

  11. Cami Halısı Cami halıları kullanımı tarihten bu yana Türkiye’nin tüm camilerinde bir gelenek haline gelmiş ve önemli bir kültür olmuştur. Camilerde ibadet edilirken dinimizin usullerine göre ve Peygamber Efendimizin verdiği hadislere dayanarak temizliğe önem gösterilmeli ve temiz bir şekilde cami halısı kullanılmalıdır. Halılar birer zemin döşemesi olarak cami zeminlerinde hem estetik oluşturan hem de rahat bir ibadet yapılmasını sağlayan ihtiyaçlardır. Bu nedenle firmamızın sunduğu halı ürünleri en uygun renklere ve desenlere sahip ürünler içermektedir.

  12. Bu sebepler ile Yurt Halısı fiyatları konusunda tercihlerin biraz karmaşık olabileceği ve farklı türlerin bu konuda tercih edilebileceği söylenebilmektedir. Yurtların odalar ile koridorları ve toplu kullanım alanlarının halılar ile kaplanması konusunda aynı halıların tercihi yanında farklı halılar ile de kaplanması mümkün olabilmektedir.

  13. Cami Halılarında Uyguladığımız Dokuma Sistemleri Sönmez Halı tarafından imal edilmekte olan cami halılarının bütün testlerde bu kadar başarılı olabilmesinin en önemli sebeplerinden birisi dokuma sistemidir. Firmamızdaki modern makineler ile beraber Face To Face yani yüz yüze diye şekillendirilmekte olan halılarda Wilton dokuma sistemi devreye sokulmaktadır. Oldukça sık olan bu dokuma sisteminde ilmek uç sayısı, hav yüksekliği son derece hassas ayarlanmaktadır. Halılarınızın metrekareye düşen ağırlık miktarları göz önüne alındığında ne kadar kaliteli bir şekilde üretildiği daha iyi anlaşılmaktadır. Atkı kalitesinde en kaliteli ipler kullanılırken bütün halılarda ekstra standartlar sağlanmaktadır.

  14. Elifnur Cami Halıları Cami Halıları size özel ölçü ve desenlerle hizmetinizde. Ürünü talep ederken boyutunu ve istediğiniz kaliteye karar vermeniz yeterli olacaktır. İhtiyaç duyduğunuz her özelliğe uygun olan bir halıya erişmek, aradığınız kaliteli çözümlere ulaşabilmek için Elifnur Cami Halıları. Elifnur Cami Halıları size özel ölçü ve desenlerle hizmetinizde. Ürünü talep ederken boyutunu ve istediğiniz kaliteye karar vermeniz yeterli olacaktır. İhtiyaç duyduğunuz her özelliğe uygun olan bir halıya erişmek, aradığınız kaliteli çözümlere ulaşabilmek için Elifnur Cami Halıları. Cami halısı için doğru zamanda doğru kaliteye erişebileceğiniz bir marka olarak hizmet vermekteyiz. Yıllarca kullanabileceğiniz en iyi halıları sunan firmamıza bir telefon ile ulaşabilirsiniz. Cami halısı metrekare fiyatlarıCami halısı metrekare fiyatları için firma yetkilimiz ile görüşebilir, teklif alabilirsiniz. Doğru tercih yapmanız hem bizim için hem kamu malı olarak geçen ürünün topluma kazandırılması için çok önemlidir. Mükemmel bir ürüne erişmek ve her zaman kaliteli fırsatlara ulaşabilmenizi sağlanması firmamız için çok önemlidir. Sizleri siparişlerinizde sorun yaşamadan hizmet sunmaktayız. Sizlerde istediğiniz her ürüne sorunsuz olarak ulaşabilirsiniz. En doğru zamanlarda mükemmel çözümlere Elifnur Cami Halıları ile erişebilirsiniz. Cami halısında en iyi fırsatlar sizleri bekliyor. Sizlerin desteği ile kurulduğumuz günden bu yana yüzlerce camimizin halısını yenileme fırsatı bulduk. Size sunduğumuz avantajlar: 1. Kaliteli Ürün 2. Uygun Fiyat 3. Ücretsiz Teslimat Yüzlerce desen ve renk çeşidiyle istenilen ebatlarda ve uygun fiyatlarda Cami halısı üretimi yapıyoruz. Cami Halı Modelleri Cami halı modellerinde diğer halı modellerinde olduğu gibi de değişik özellikler bulunmaktadır. Üretim modelleri ek olarak üretim malzemeleri de cami ve mescit halıları için önemli olarak görülmektedir . Çoğunlukla camiler için dokunan halılarda üç model ile karşılaşmatayız. Bunlar; Saflı cami halısı Saflı cami halısı, camilerde saf düzeninin sorunsuz şekilde sağlanabilmesi için özel olarak dokunmuş ürünlerdir. Belirli aralıklardaki çizgiler namaz sırasında camide mükemmel bir görüntü oluşmasını sağlar. Göbekli Cami Halısı Göbekli cami halısı modelleri ise camilerin orta kısmına konumlandırılan büyük bir desendeki halılardır. Genellikle büyük avizeye sahip olan camilerimizde göbekli cami halı modelleri oldukça güzel bir uyum sağlamaktadır. Diğer bir model ise diğer iki modelin karışımından oluşmaktadır. Hem göbekli hem de saflı olarak planlanan modellerdir. Rahat ve düz bir kullanım alanı sunması ve mükemmel bir görüntü sağlaması ile tercih sebebidir. Elifnur Cami Halıları olarak cemaatlerimizin ihtiyaçlarını karşılarken bizi gönül rahatlığı ile tercih edebilirsiniz. Alev almayan ve küflenmeyen, uzun ömürlü ve dayanıklı cami halıları, her sene farklı motifleriyle sizlerin beğenisine sunulmaktadır. Caminizin ebatına ve cemaatin çokluğuna uygun olarak tasarlanan halılar sizin beğeniniz için tasarlanır. Cemaat beğenisine özel cami halısı bulabileceği firmamızdaki en önemli husus, halılarımızın leke tutmayan modeller oluşudur.

  15. I have to thank you for the efforts you’ve put in writing this site. I’m hoping to check out the same high-grade content from you later on as well. In fact, your creative writing abilities has encouraged me to get my very own website now 😉

  16. Büyük bir çoğunluğu Müslüman bir toplumdan oluşan ülkemizde her tarafta farklı büyüklüklerde mescitler ve camiler bulunmaktadır. Toplu olarak kullanılan bu ibadethanelerin en büyük sorunu genellikle hijyen ve temizliktir. Özellikle ayakkabıların çıkarılarak çoraplarla veya çorapsız olarak girilip kullanıma sokulmakta olan camilerin yer kaplamalarında tercih edilecek olan halıların hassasiyetle üretilmesi gerekmektedir. Bu noktada devreye girmekte olan Sönmez Halı, çok uzun zamandır camiler için birbirinden farklı tarzlarda ve ebatlarda halı imalatı yapmaktadır.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website