MARIANA – MAR DE POESIA

mar de livros - adm untitled - Gabryel Fellipe - Confins literarios

 

Há quem faça da vida uma constante poesia. É o caso dos sonhadores, por exemplo. E há quem faça da poesia uma constante na vida. Esses são os poetas, também sonhadores, que buscam, por meio da arte de poetar, retratar seus anseios e os alheios.

E, se houve quatro cavaleiros do apocalipse da literatura, atualmente, temos quatro idealizadores da poesia aldravista, que, incansavelmente, batem nas portas (aldrava = peça ou argola de ferro instalada no lado externo da porta), levando a poesia como instrumento de reconstrução: Andreia Donadon, Gabriel Bicalho, J.B. Donadon-Leal e J.S. Ferreira.

Mariana não é um mar de lama. A poeta Andreia Donadon ajudou a mudar o curso dessa história:

Mariana

merece

amarga

fama

tudo

lama?

E, em Mariana, o ar que se respira é de pura poesia, desde o muro até a casa inteira dos poetas aldravistas: Andreia Donadon e J.B. Donadon.

J.B. Donadon-Leal, editor, professor, poeta, contista, ensaísta, crítico literário, vaticinou:

calor

humano

lama

não

leva

definitivamente

 

 

Gabriel Bicalho, poeta, trovador, considerado, por unanimidade, o maior poeta vivo de Mariana, se inquietou:

mineiro

vira

minério

: cimenta

seu

cemitério!

 

E, para enfatizar que a palavra também liberta, J.S. Ferreira, poeta, escritor, vice-presidente da Associação Aldrava Letras e Artes Mariana-MG, justificou:

explosões

poeiras

beneficiamentos

transportes

aldravias

mundo

 

Em Mariana, também, reside dona Hebe Rôla, poeta, professora, pesquisadora, escritora, contadora de histórias, pioneira do projeto Floresça Mariana; uma flor em cada janela, um livro em cada mão…, que esperançou:

na

serra

ipê

desarvorado

flore

sozinho

Enfim, seja lírico, sonetista, modernista, concretista, cordelista, aldravista, trovador, o poeta é multifacetado e consegue fazer, da palavra, uma obra de arte, e, da poesia, o ar que ele respira!

 

4 thoughts on “MARIANA – MAR DE POESIA

  1. Bravo! Como vice consegue escrever um texto informativo e poético ao mesmo tempo?? E tao bonito! Um belo trabalho acadêmico também, ao levantar os poetas regionais e suas obras sobre a cidade de Mariana e o fatídico acontecido. … muito louvável o esforço e belo o produto! Amei. . Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website