UM HOMEM CHAMADO JOSÉ

pais2          pais3

Elisa, minha filha caçula que acabou de conquistar a maioridade ao completar 21 anos, está reproduzindo, no desenho, a foto dos meus pais quando jovens, para presentear a minha mãe que fará 92 anos de idade, e que, muitas vezes, não mais se reconhece nas fotos…

Ao esboçar os traços da face do meu pai, pergunta-me de chofre: “Como era o seu pai?”

Respondo imediatamente com duas rimas de sentido contrário: carinhoso e nervoso, e penso: como definir uma pessoa? E até que ponto tenho o direito de delimitar traços de personalidade de alguém se desconheço as minhas atitudes diante de situações nunca experienciadas? Sou capaz de imaginar as atitudes que eu teria, porém, a emoção de vivê-las ainda é desconhecida e, assim, ao misturar a razão com a emoção, não sei ao certo qual delas se imporá com mais afinco…

Mas meu pai era um sujeito extremamente movido pelas emoções. Emocionava-se com facilidade, não se importando com as lágrimas que rolavam pelo seu rosto. Não sentia vergonha de expressar o amor que nutria pela família. Era presença constante na casa dos pais, no interior, nas férias escolares dos filhos. Quando sua mãe contraiu um câncer, chorava ao ouvir a fita cassete que gravara dos encontros familiares. Visitava-a constantemente quando, em suas viagens a trabalho, estava mais próximo da cidade em que os pais moravam.

Talvez, também por isso, morreu “do coração”. Dizia que não suportaria ir ao enterro da mãe. Foi poupado: morreu antes dela, aos 43 anos, repentinamente, de insuficiência cardíaca…

Mas também era muito nervoso. Dotado de grande organização, irritava-se com facilidade quando encontrava coisas fora do lugar: “qualquer dia desses, acharei os sapatos dentro do fogão…”

Era caixeiro viajante e eu, muitas vezes, arrumava a sua mala. A forma de dobrar as roupas, o lugar correto de colocar cada peça, os apetrechos de higiene pessoal, tudo tinha seu lugar designado e muito organizado.

Talvez, essa “perfeição”, essa disciplina (trabalhador incansável e responsável, cumpria rigorosamente os horários) impedia-o de ser mais condescendente com os outros que pensavam diferente. As regras, impostas aos filhos, eram duras. Quando chamava algum deles, chamava duas vezes, pois, na terceira, já não tinha perdão.

Por ser muito carinhoso, cobrava, de certa forma, também, o carinho e atenção da esposa e dos filhos, ao chegar em casa, do trabalho, e não ser recebido com abraços e beijos.

Da minha mãe, herdei o amor imensurável pelos filhos, a fé em Deus, a coragem e a força de seguir sozinha, a sabedoria de poeta que ela sempre foi: “a gente cria filhos é para o mundo”; “não existe idade, existe vida!”; “Prefiro ser viúva de marido morto a ser viúva de marido vivo” (pensava assim porque se sentia amada). E a certeza de que “como a fumaça, tudo passa.”

Busco, em mim, o que herdei do meu pai, e me vejo tão emotiva quanto ele; tão urgente na externalização do meu amor, carinho e, também, perdão, quanto ele; tão verdadeira, embora, com isso, às vezes, atropelando a limitação do outro, quanto ele; tão imediatista, no que se refere à disciplina, quanto ele; alegre, comunicativo e empático. Presenciei-o pagando ingresso de futebol para o amigo e levando-o ao Morumbi em seu carro. Dava até o que faltava em casa…

Amava minha mãe. Trazia-lhe, sempre, de muitas cidades, lembranças, chaveiros: “Estive em São José dos Campos e lembrei-me de você. Com muito amor!”

“Eu te amo!”… E expressava, fisicamente e com palavras, esse amor. Era ele quem agendava o salão e a levava. Quem lhe comprava roupas, brincos, batom…Gostava de circular com ela em todos os lugares, dizia que ela era linda…

Então, quem era meu pai?

Foi o primeiro homem que conheci. Alegre e triste. Carinhoso e nervoso. Trabalhador e apreciador dos encontros…, e, para mim, de grande relevância: casou-se por amor. Enfrentou a frieza e julgamento dos irmãos de minha mãe porque a queria por esposa.

Creio que foi feliz nos dezessete anos de casado que viveu, porque foi humano, “demasiadamente, humano!”

Uma homenagem à árvore milenar que me fez fruto: minhas raízes!

8.388 thoughts on “UM HOMEM CHAMADO JOSÉ

  1. I am no longer positive the place you are getting your info, but good topic.
    I needs to spend some time studying much more or working out more.
    Thank you for fantastic information I used to be searching for this info for
    my mission.

  2. Hello are using WordPress for your site platform?
    I’m new to the blog world but I’m trying to get started and create my own. Do
    you require any html coding knowledge to make
    your own blog? Any help would be greatly appreciated!

  3. Nice weblog here! Also your web site loads up very fast!
    What host are you the usage of? Can I am getting your associate link in your host?
    I want my website loaded up as quickly as yours lol

  4. Good post. I learn something totally new and challenging on sites I stumbleupon every day.

    It will always be useful to read content from other authors
    and use a little something from their websites.

  5. First off I would like to say wonderful blog! I had a quick question which I’d like to
    ask if you don’t mind. I was curious to know how you center yourself and
    clear your head prior to writing. I’ve had a difficult time clearing my mind in getting my
    thoughts out there. I truly do take pleasure in writing but
    it just seems like the first 10 to 15 minutes are lost just trying to figure out how to begin. Any ideas or hints?
    Appreciate it!

  6. I do agree with all the ideas you have presented to your post.

    They are very convincing and will certainly work. Still, the
    posts are very short for beginners. May just you please prolong them a little from subsequent time?
    Thank you for the post.

  7. fantastic post, very informative. I ponder why the opposite specialists of this sector don’t understand this.
    You must proceed your writing. I am sure, you have a
    great readers’ base already!

  8. Hey I am so delighted I found your blog, I really found you
    by error, while I was browsing on Askjeeve for something else,
    Nonetheless I am here now and would just like to say many thanks for a fantastic post and a all round interesting blog (I also love the theme/design),
    I don’t have time to go through it all at the minute but I have bookmarked it and also added your RSS feeds, so
    when I have time I will be back to read more, Please do keep up the
    fantastic work.

  9. When I originally commented I clicked the “Notify me when new comments are added” checkbox and now each time a comment is added I
    get four emails with the same comment. Is there any way you can remove people
    from that service? Thanks a lot!

  10. It’s a pity you don’t have a donate button! I’d most certainly donate to this outstanding blog!
    I guess for now i’ll settle for book-marking and adding your RSS feed to my Google account.

    I look forward to fresh updates and will share this blog
    with my Facebook group. Chat soon!

  11. Thank you, I have recently been searching for info approximately this subject for ages and yours is the greatest I’ve came upon so
    far. But, what in regards to the conclusion? Are you positive in regards to the source?

  12. Hello! I could have sworn I’ve visited this website before but after browsing through a few of the posts I
    realized it’s new to me. Anyways, I’m definitely pleased I discovered it
    and I’ll be bookmarking it and checking back often!

Deixe uma resposta para SYPHILIS Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website