A DEUS

Numa triste manhã de verão, sob uma chuva forte que banhava a cidade, seguia o cortejo morosamente rumo ao cemitério. Dentro da urna, um jovem de quinze anos, vítima de um acidente de carro em vésperas de carnaval, sepultava todos os sonhos de adolescente que ainda despertavam. Fora tudo muito rápido, e explicações não caberiam […]

EXCESSO DE ACESSO

Noite fria de final de julho na capital mineira. Acordo mais de dez vezes para amparar a testa da minha filha que não para de vomitar. Confiro seguidamente a temperatura do seu corpo, constato que não há febre, e vou lhe dando soro. Pela manhã, ela consegue dormir. Após o almoço, e ela à base […]

“Delicado”

Era o ano de 1968, e eu estava com nove anos. Ela tinha dez e estava na mesma sala que eu: 3º ano primário, em uma escola pública. Eu, mineira; ela, carioca. Morávamos na capital paulista. Chamava-se Nanci, era mais alta e encorpada do que eu, e, embora morássemos num bairro mediano, sua família tinha […]

PERDÃO PELA VIOLÊNCIA

Minas Gerais, terça-feira, às 23h30, Cybele, deitada cochilando no sofá em frente à televisão ligada, ensaia assistir ao filme “Jesus”. Subitamente é despertada pelos gritos do marido no quarto. Ainda meio tonta, encaminha-se para o quarto tentando empurrar as pernas que denunciam seus 68 anos de idade. Para estarrecida na porta ao ver o velho […]

“Quadro negro”

Valter, trinta e nove anos, é o professor de Matemática. Veio do nordeste, fugindo da seca que ano a ano assola seu Estado. De estatura baixa, cabeça chata e sotaque nordestino, sobra-lhe o rosto de feições rudes para afastar qualquer deboche. Forma de se impor fora do berço. No primeiro dia de aula, a sala […]

FELIZ NATAL!

Na outra vez que eles vieram, eu ainda era pequeno, mas me lembro de que Roberto e Roberta brincavam muito comigo. Na verdade, mais Roberto. Talvez porque sejamos do mesmo sexo. Depois, eles vieram no início de dezembro, nas férias, e nada melhor que cidade pequena com muito ar puro, galinhas ciscando no quintal, recebendo […]

Engano urbano

    Século vinte e um. Tecnologia avançadíssima, bastando apenas um toque de dedos para clicar algum botão e, de repente, abre-se, à nossa frente, um mundo mágico…             Contrastando a isso, o básico do básico parece ficar esquecido, relegado a um canto de tanto ser básico, e, assim desaprendemos ou nem aprendemos a lidar […]