Viraremos pó da mesma cor

Belo Horizonte, 20 de dezembro de 2017, às 20h20.

Estou dentro do move lotado, com destino à Pampulha. Não consegui atravessar a roleta e paro ao lado da cobradora que conversa com o passageiro sentado à minha frente. Estou em pé. Antes de chegar à Estação Lagoinha, ela pergunta quem vai pagar com dinheiro. Sou uma delas e já garanto a passagem, sob a argumentação aos passageiros que precisa esconder o dinheiro, pois o ônibus sofreu um assalto ontem ou antes de ontem ao parar nessa estação.

Nessa estação, dois rapazes estão aguardando a abertura das portas para entrar no ônibus. O primeiro, ao colocar apenas um pé, é surpreendido pela arrancada leve do ônibus, pelo motorista, e grita: “Ô, motorista, você tá louco? Ainda não entramos, o meu irmão está atrás de mim.” Para a minha surpresa, o motorista começa a gritar uma série de desaforos e palavrões aos dois rapazes, que negam serem vagabundos, marginais, etc., etc.

Não satisfeito, o motorista, dirigindo, continua a desafiá-los e faz contato com os seguranças da próxima estação para recolherem os marginais. O ônibus para na estação e eu atravesso rapidamente a roleta, ao mesmo tempo que digo: “se eles forem, vou com eles. É injusto. Os rapazes não fizeram nada. Não vou deixá-los sozinhos nessa.”

Uma moça e um rapaz saem do ônibus comigo. Quatro seguranças armados os esperam, mas, antes que coloquem as mãos nos rapazes, entro na frente e explico que são inocentes. O motorista está ao meu lado e diz que os rapazes o ofenderam e não diz que ele os ofendeu e nem que colocou os passageiros em risco, dirigindo berrando e provocando os rapazes, além de acrescentar, olhando para mim: “é sempre assim, o passageiro é contra o motorista”. Um dos seguranças pede silêncio e quer me ouvir.

Explico a ele que entendo o estresse do motorista, a insegurança que vive diariamente, o cansaço, mas isso não dá a ele o direito de se empoderar por ser o condutor do ônibus e ter guarita para se defender, ofendendo os rapazes da forma que estava fazendo, muito menos pedir que eles sejam conduzidos pela polícia.

Um dos rapazes dá a mão ao motorista e lhe pede desculpas. O motorista não lhe pede desculpas.

Voltamos ao ônibus.

Os dois passageiros que desceram comigo disseram que me acompanharam porque “unidos somos força”. E eu fiquei pensando: sim, somos, mas em meio a mais de quarenta pessoas que presenciaram a injustiça, apenas três (considerados brancos) evitaram que ela acontecesse.

Não somos um país preconceituoso?

Os dois rapazes são negros. O motorista também.

O “muito obrigado” dos rapazes, dirigidos a mim, até na hora de descerem em seu destino, me engasgou, me entalou. Obrigado de quê? Vocês não fizeram nada, sou tão humana quanto vocês, vamos virar pó do mesmo jeito e, indubitavelmente, pó da mesma cor…

 

3 thoughts on “Viraremos pó da mesma cor

  1. Mais um belo texto fruto de uma bela reflexão e o que é mais importante, de uma bela ação. Parabéns Fátima, vc sempre maravilhosaaa

  2. É minha querida, tempos difíceis de intolerância. Sejamos exemplo de gentileza e cortesia sempre…o bem é silencioso mas existe em atitudes assim! bjs

  3. The men’s prostate is the central portion of a male’s reproductive :. It secretes fluids that assist the transportation and activation of sperm. The men’s prostate is situated just as you’re watching rectum, below the bladder and around the urethra. When there is prostate problem, in most cases very uncomfortable and inconvenient for that patient as his urinary product is directly affected.

    The common prostate health conditions are prostate infection, enlarged prostate and cancer of prostate.

    Prostate infection, often known as prostatitis, is regarded as the common prostate-related symptom in men younger than 55 years of age. Infections with the men’s prostate are classified into four types – acute bacterial prostatitis, chronic bacterial prostatitis, chronic abacterial prostatitis and prosttodynia.

    Acute bacterial prostatitis will be the least common of all kinds of prostate infection. It is brought on by bacteria located in the large intestines or urinary tract. Patients can experience fever, chills, body aches, back pains and urination problems. This condition is treated by making use of antibiotics or non-steroid anti-inflammatory drugs (NSAIDs) to ease the swelling.

    Chronic bacterial prostatitis can be a condition associated with a particular defect within the gland as well as the persistence presence of bacteria inside the urinary tract. It can be a result of trauma to the urinary tract or by infections received from other parts with the body. A patient may feel testicular pain, spine pains and urination problems. Although it is uncommon, it could be treated by removal of the prostate defect followed by making use antibiotics and NSAIDs to deal with the soreness.

    Non-bacterial prostatitis accounts for approximately 90% of most prostatitis cases; however, researchers have not yet to determine the sources of these conditions. Some researchers think that chronic non-bacterial prostatitis occur as a consequence of unknown infectious agents while other feel that intensive exercise and heavy lifting might cause these infections.

    Maintaining a Healthy Prostate

    To prevent prostate diseases, a proper diet is important. These are some with the things you can do to maintain your prostate healthy.

    1. Drink sufficient water. Proper hydration is necessary for overall health and it will also keep your urinary track clean.

    2. Some studies declare that a couple of ejaculations weekly will help to prevent prostate type of cancer.

    3. Eat steak without excess. It has been shown that consuming greater than four meals of beef every week will heighten the probability of prostate diseases and cancer.

    4. Maintain an appropriate diet with cereals, vegetable and fruits to be sure sufficient intake of nutrients needed for prostate health.

    The most significant measure to consider to ensure a proper prostate is always to choose regular prostate health screening. If you are forty years and above, you should go for prostate examination at least once 12 months.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website