Sobre o canto de qualquer lugar

Todo canto reserva certa timidez. É nele que se postam os que não querem aparecer, os que querem se esconder. Esconder de si mesmo, não se exporem aos outros. Os cantos passam despercebidos. A atenção maior está no exposto, no largo, no centro, naquilo que o olhar alcança por inteiro. O canto é o lugar de conforto naquilo que nos desconforta. É o abrigo, o esteio, o amparo. No canto, nos encaixamos, nos encaixotamos, almejamos nos algemar nele. Temos a visão do todo, sem estarmos tão visíveis. O canto nos permite a visão de mundo, sem o nosso comprometimento físico. Embora o canto seja de suma importância para sustentar duas paredes, ele não é valorizado, bem visualizado. Dificilmente ele é destacado com ornamentos, enfatizando sua existência. Os cantos são a sustentação de qualquer matéria criada, porém, a importância é dada somente à constituição total, como se os cantos não fossem necessários.

Busco fazer da minha vida um canto.

4 thoughts on “Sobre o canto de qualquer lugar

  1. Hoje em dia, todos são instigados à fama. A vaidade nos leva ao centro, aos holofotes; muitas vezes pelo mero orgulho e materialismo. Entretanto, poucos entendem que, muitas vezes, para se chegar ao centro, é necessário começar da margem; ou mesmo é melhor “comer pelas beiradas”.

  2. Nos dias de hoje, somos influenciados a querer estar sempre no centro, nos holofotes. Entretanto, muitas vezes é necessário começar dos cantos para se chegar no meio, ou começar de baixo para se chegar em cima. Outras vezes, é ainda melhor e fundamental comer pelas beiradas, pelos cantos, para fundamentar o todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website